Primeiro Banco de Leite Humano de Angola completa um ano de funcionamento

BLH da Maternidade Lucrécia Paim já atendeu a mais de 400 prematuros e recém-nascidos

O Banco de Leite Humano de Angola, localizado na Maternidade Lucrécia Paim, em Luanda, comemorou no dia 18 de novembro, o aniversário de um ano de trabalho em prol do aleitamento materno e da doação de leite materno no país. Os profissionais do primeiro BLH de Angola se reuniram para celebrar a importância do momento.

O BLH iniciou as atividades em 2019, com uma equipe multiprofissional, e se prepara para inaugurar o primeiro posto de coleta externa, para atuar em parceria com o BLH. Segundo a coordenadora do BLH, Elisa Gaspar, a equipe está muito feliz e orgulhosa de tudo que foi alcançado nesse um ano.

A doação de leite humano é fundamental não só para atender a prematuros e bebês internados, mas também contribuir para a redução da desnutrição e mortalidade infantil. Desde a inauguração, mais de 400 bebês já foram beneficiados com o leite humano doado. Segundo a médica, esse resultado é muito importante, pois “é um impacto muito grande na saúde pública de Angola. São prematuros e recém-nascidos que poderiam ter complicações sérias e, graças ao leite doado, conseguiram sobreviver”.

Mesmo durante a pandemia, o BLH tem contado com doações das mães que estão na maternidade, que doam para seus bebês e para outros bebês internados. A coordenadora destaca o desempenho do BLH durante esse momento de dificuldades e superação de desafios, “Nós conseguimos leite o suficiente para darmos aos prematuros do berçário. Estamos acompanhando alguns bebês que nasceram prematuros e estão ganhando peso. As mães estão felizes, vêm dar seus depoimentos. Para nós, isso é uma grande satisfação”, celebra a médica.

Clique nas imagens para ampliar

   
  
   
    
   

  

Tags: