Na maternidade

A ansiedade e a expectativa de meses dão lugar a outros cuidados após o nascimento do bebê. Na primeira hora pós-parto, assim que possível, o bebê deverá ir ao seio materno. Este momento é fundamental, visto que não somente se inicia a prática alimentar do bebê, mas também se estabelece o vínculo afetivo entre mãe e filho, essencial para o desenvolvimento socioafetivo da criança.

É neste contato pele a pele, entre mãe e bebê, na primeira hora pós-parto, que acontece o maior estímulo à amamentação. Esse contato ainda ajuda a manter o bebê aquecido, regulando a frequência cardíaca e a respiração.

Para a mãe, o aleitamento logo após o parto libera endorfina, elimina a sensação de dor e muda o foco do incômodo do pós-parto para o bem-estar do recém-nascido, despertando o instinto de cuidado e proteção, além de estimular a produção de leite e ajudar na contração do útero, diminuindo o risco de hemorragia pós-parto. Atos como pesar ou vestir o bebê podem aguardar para mais tarde.

Ao realizar o contato pele a pele na primeira hora pós-parto, você estará estimulando muitos hormônios que ajudarão no início da apojadura.

Você sabe o que é apojadura?

Apojadura é um preparo da mama para o início da produção do leite e que, geralmente, acontece até cinco dias após o parto. Neste período, as mamas ficam maiores e bem cheias, algumas vezes quentes.

É normal haver um pequeno fluxo de leite, começando a descer em forma de gotinhas. que é suficiente para o seu bebê ficar satisfeito. Esse primeiro leite que sai é chamado de colostro e tem o papel principal de proteção do recém-nascido, pois contêm vários anticorpos, sendo conhecido como a primeira vacina. Essas características permanecem até o 7º dia pós-parto.

Após o parto, o bebê deve permanecer com a mãe, sem interferências, e o companheiro ou outro acompanhante deve se sentir bem-vindo. O período após o parto deverá ser um momento privado, relaxado e calmo para a nova família, e os profissionais devem se comunicar de uma forma cuidadosa e não ruidosa.

A mãe tem direito a um acompanhante de livre escolha, para lhe oferecer apoio físico e/ou emocional durante o pré-parto, parto e pós-parto no parto e no alojamento conjunto/quarto (Lei 1.153, de 22 de maio de 2014).

Já no quarto, a equipe de saúde pode ajudar a mãe a interpretar os sinais de fome do bebê (como gemidos, lambida na mão e agitação), e se este mostrar interesse em mamar, a equipe de saúde deve auxiliar a mãe a adotar uma posição confortável, para que o bebê possa fazer uma pega eficaz. São nessas primeiras 24 horas que você pode ter algumas dificuldades em colocar o seu bebê para mamar.

Mas, como ou quando a quantidade de leite vai aumentar?

Você vai precisar da ajuda do seu bebê para isso, pois quanto mais ele sugar, maior o estímulo na produção e mais rápida e com maior volume será a descida do leite. Por isso, indicamos não levar para a maternidade chupetas, mamadeiras e/ou bicos de silicone, pois todos esses acessórios podem prejudicar o sucesso da amamentação.

Caso as mamas estejam bem túrgidas (muito cheias), você pode realizar massagens com a mão espalmada em movimentos circulares, iniciando ao redor do mamilo e depois em direção à raiz da mama (próximo ao tórax), realizando em seguida uma pequena ordenha da aréola para que esta fique bem macia,o que facilita a pega para o bebê.