A cooperação multilateral

A cooperação técnica multilateral é aquela desenvolvida entre o Brasil e organismos internacionais com mandato para atuar em programas e projetos de desenvolvimento social, econômico e ambiental. Nesta área, o Brasil formalizou um convênio de cooperação triangular entre Brasil/Ministério da Saúde/Fiocruz - Haiti/Ministério da Saúde Pública e da População - França/Agência de Cooperação Francesa, voltado para o apoio técnico à implantação de Bancos de Leite Humano no Haiti. A Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH) possui dois programas de cooperação técnica multilateral bem-sucedidos: o IberBLH e o TCC OPS.

O IberBLH é um programa de cooperação na região ibero-americana para a troca de conhecimento e tecnologia nas áreas de Aleitamento Materno e Banco de Leite Humano. Foi aprovado em novembro de 2007, na XVII Cumbre Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo.

Em todos os países participantes se instalaram unidades de bancos de leite humano. Entre aqueles que já contavam com a estrutura, o Programa IberBLH serviu para estimular o tema do aleitamento materno do país e renovar o apoio às capacitações de profissionais. De acordo com a OPS, o Programa Ibero-Americano impulsionou processos, instalou o tema na agenda multilateral dos presidentes e criou um marco de cooperação mais do que a prática que se executou com ações bilaterais. Atualmente, participam do programa os seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Espanha, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

No ano seguinte a implantação da IberBLH, foi criado um Projeto de Cooperação Técnica entre países (TCC, na sigla em inglês), promovido pelas OPS, em que participaram Equador, Guatemala e Honduras. O projeto foi implantado em 2009, com o propósito de reduzir a mortalidade infantil, assim como o desenvolvimento de respostas institucionais e comunitárias para fortalecer o aleitamento materno.

Para saber mais sobre os acordos firmados, visite a página do país desejado aqui.

“O objetivo desse relacionamento é o de gerar e/ou transferir conhecimentos, técnicas e experiências que contribuam para o desenvolvimento de capacidades nacionais em temas elencados como prioritários pelo governo brasileiro e a sociedade civil, assumindo-se como horizonte de trabalho a autossuficiência nacional em termos dos conhecimentos requeridos para conceber e operacionalizar políticas e programas públicos com repercussão sobre o desenvolvimento socioeconômico do país.”

Fonte: Portal ABC